badminton

Diário do Bem-Estar (Dia 62/100)

Friday, 02 March 2012, 21:00 | Tags: , , , , , , | Nenhum comentário
Postado por Fábio Betti 
Eu havia lançado a intenção, quando eu comecei esse diário, de só falar de situações, coisas que eu vivi, vivo em meu cotidiano, que têm a ver com conforto, com bem-estar. No entanto, vivo situações totalmente opostas, ou seja, situações de mal-estar, de dor, de sofrimento e, de alguma forma, também não quero ignorá-las. Então, por mais que seja o Diário do Bem-Estar, percebo que, em alguns momentos, vou querer trazer também o outro lado, o outro lado dessa moeda que, as vezes, entendo ou percebo dessa forma, que não é bem o outro lado da moeda, é uma parte dessa moeda que, para atingir o outro lado, preciso passar por ela. É algo no caminho, não é o contrário do caminho, não é uma direção oposta. Leia mais »

Diário do Bem-Estar (Dia 54/2011)

Tuesday, 21 February 2012, 20:05 | Tags: , , , , | Nenhum comentário
Postado por Fábio Betti 
Hoje, estava eu acompanhando mais uma vez meu filho mais velho em um campeonato, um torneio de badminton, e era um jogo decisivo dentro do objetivo dele de ir para uma categoria superior – e ele precisava ganhar essa partida para caminhar em direção a essa nova categoria. E ele jogou tão bem, você o via numa confiança, numa concentração, com determinação, foi uma coisa assim de sentir um prazer imenso em vê-lo assim tão forte, determinado, crescido, com a meta na frente dele, ele perseguindo a meta o tempo inteiro. Foi muito bonito ver isso, ver esse garoto crescido e tão determinado, foi uma experiência inesquecível. (04/09/2011) Leia mais »

Diário do Bem-Estar (Dia 15/100)

Monday, 30 January 2012, 21:41 | Tags: , , , , , , | Nenhum comentário
Postado por Fábio Betti 
Uma reflexão que me acompanha já há algum tempo é a distinção entre prazer e alívio. Hoje ela reapareceu quando, no exercício de pensar sobre os momentos de bem-estar que vivi ao longo do dia, a estreia de meu filho no torneio pan-americano de badminton teve uma importância enorme. No entanto, ao me recordar o que vivi quando assistia a partida, não era uma sensação de bem-estar que eu experimentava. Eu estava tenso, percebia o batimento cardíaco acelerado e uma ansiedade quase incontrolável para que o jogo terminasse logo. Tanto é que, quando terminou em vitória, foi uma sensação conhecida minha, e não foi de prazer, mas de alívio. Distingo uma da outra por meio de um raciocínio simples: se é prazer o que estou sentindo, lamento quando termina. Se é alívio, comemoro. Para mim, não são, portanto, apenas sensações distintas, são praticamente opostas e, no entanto, ambas têm sua dose de bem-estar. O prazer é contínuo e cessa quando a situação em que se vive finda, enquanto o alívio é pontual e se localiza justamente no instante em que um determinado evento termina. Relembrando meu filho em quadra, percebo que acompanho cada ponto desejando que tudo acabe o mais rápido possível, de preferência, com uma vitória – caso contrário, ao invés de alívio, virá a tristeza pela derrota dele; a tristeza dele é a minha tristeza, difícil me separar disso... Por outro lado, vivo a dizer para ele se divertir, curtir o jogo, ponto a ponto, e percebo agora o quão incongruente é esse desejo. Se não consigo vivê-lo em mim, por que ele deveria? (27/07/2011) Leia mais »

Diário do Bem-Esta (Dia 14/100)

Sunday, 29 January 2012, 21:52 | Tags: , , , , | Nenhum comentário
Postado por Fábio Betti 
Não apenas presenciar, mas viver intensamente a primeira conquista de uma medalha no torneio por equipes do pan-americano de badminton. Difícil descrever o que foi isso. Gravei o momento crucial em vídeo, mas ainda não o revi. Por isso, fica apenas o resíduo da memória e o que me recordo do que senti. Tem a ver com uma imagem: eu, com as lágrimas escorrendo, cumprimentando todos os atletas. A energia deles estava em mim, e minha energia, provavelmente, estava neles. Naquele momento, éramos todos seres pertencentes ao mesmo nicho, um espaço de bem estar que experimentei algumas vezes em estádios de futebol. De repente, irrompe o gol e me vejo abraçado à pessoa ao meu lado. Emocionados, gritamos, em frenesi, a palavra encantada: é gol! É gol! E nada mais importa. Tudo se completa. Nada falta. Somos um. (26/07/2011) Leia mais »

Diário do Bem-Estar (Dia 13/100)

Saturday, 28 January 2012, 21:45 | Tags: , , , , | Nenhum comentário
Postado por Fábio Betti 
Vivi hoje duas experiências que distingui como de grande bem-estar. Pela manhã, fomos conhecer o museu Bob Marley em Kingston, e ouvir do guia que nos acompanhou histórias pitorescas sobre este que é o maior ídolo jamaicano foi impagável. Fiquei impressionado com o que ele conseguiu construir em tão pouco tempo, uma vez que morreu precocemente, aos 36 anos. Apesar de sua imagem, às vezes, ficar muito associada ao uso intensivo de maconha, a simplicidade e a profundidade com que ele expressava suas ideias e a incrível identificação que ele obteve com as pessoas mais humildes são admiráveis, coisa que só verdadeiros mitos alcançam. Me senti um privilegiado por conhecer a casa onde ele morou e saber um pouco mais de sua vida. Leia mais »

Patinho feio

Tuesday, 02 August 2011, 23:00 | Tags: , , , | Nenhum comentário
Postado por Fábio Betti 
Num país onde todos parecem ser negros, uma pele clara pode ser um bem raro, porém pouquíssimo apreciado Leia mais »