prazer

Da esquizofrenia ao prazer compulsório, um olhar sobre a cultura doentia do trabalho

Thursday, 12 April 2012, 09:54 | Tags: , , | Nenhum comentário
Postado por Fábio Betti 
No início de minha carreira, trabalhei numa empresa americana reconhecida como ótima empregadora. Tanto é que a maioria dos funcionários era composta por gente com muito tempo de casa. Até que um dia, pressionada pelos maus resultados, apareceu com um pacote para estimular demissões voluntárias. Os “cabeças brancas” foram os primeiros a se candidatar. Com 25, 30 anos de serviços prestados, diziam que iriam pegar a grana do pacote e curtir a vida. Que nada! Muitos entraram em depressão, subitamente conscientes da falta de sentido em suas vidas. Leia mais »

Diário do Bem-Estar (Dia 15/100)

Monday, 30 January 2012, 21:41 | Tags: , , , , , , | Nenhum comentário
Postado por Fábio Betti 
Uma reflexão que me acompanha já há algum tempo é a distinção entre prazer e alívio. Hoje ela reapareceu quando, no exercício de pensar sobre os momentos de bem-estar que vivi ao longo do dia, a estreia de meu filho no torneio pan-americano de badminton teve uma importância enorme. No entanto, ao me recordar o que vivi quando assistia a partida, não era uma sensação de bem-estar que eu experimentava. Eu estava tenso, percebia o batimento cardíaco acelerado e uma ansiedade quase incontrolável para que o jogo terminasse logo. Tanto é que, quando terminou em vitória, foi uma sensação conhecida minha, e não foi de prazer, mas de alívio. Distingo uma da outra por meio de um raciocínio simples: se é prazer o que estou sentindo, lamento quando termina. Se é alívio, comemoro. Para mim, não são, portanto, apenas sensações distintas, são praticamente opostas e, no entanto, ambas têm sua dose de bem-estar. O prazer é contínuo e cessa quando a situação em que se vive finda, enquanto o alívio é pontual e se localiza justamente no instante em que um determinado evento termina. Relembrando meu filho em quadra, percebo que acompanho cada ponto desejando que tudo acabe o mais rápido possível, de preferência, com uma vitória – caso contrário, ao invés de alívio, virá a tristeza pela derrota dele; a tristeza dele é a minha tristeza, difícil me separar disso... Por outro lado, vivo a dizer para ele se divertir, curtir o jogo, ponto a ponto, e percebo agora o quão incongruente é esse desejo. Se não consigo vivê-lo em mim, por que ele deveria? (27/07/2011) Leia mais »

Diário do Bem-Estar (Dia 11/100)

Thursday, 26 January 2012, 21:09 | Tags: , , , , , , , | Nenhum comentário
Postado por Fábio Betti 
Fiquei longe daqui por alguns dias. Refletindo sobre isso, me vi imerso na loucura de Nova York, anestesiado pela compulsão coletiva por comida e consumo - e sem consciência sobre as situações onde me sinto no bem-estar, sem refletir sobre esses momentos. É curioso, mas quando recorro à memória, as primeiras lembranças que surgem desses dias são registros de situações de mal-estar. Seria um padrão já instalado, a partir do qual faço a leitura do meu viver, quando opero no modo automático? Um operar a partir do mal-estar? É curioso também como essa reflexão teve seu impulso inicial em uma situação aparentemente de profundo mal-estar, mas que, ao me dar conta de meus reais sentimentos, percebo um fluxo mais complexo onde bem-estar e mal-estar se entrelaçam e, em certo sentido, se complet Leia mais »

Dor ou prazer?

Wednesday, 31 August 2011, 19:47 | Tags: , , , , , , | 1 comentário
Postado por Fábio Betti 
Já investiguei muito minha sombra, pesquisei com afinco debaixo do tapete, cavouquei muita dor antiga, seja do coração, seja dor de alma. Aprendi um bocado sobre mim nessa jornada, mas também me vi muitas vezes apegado às dores que encontrei pelo caminho. De repente, elas eram a justificativa que eu buscava para não mudar o que precisava ser mudado. Leia mais »